Convertendo arquivos DOS ^M com Vim

Quem nunca passou pela situação de executar um script e o mesmo apresentar erro. Normal, mas algumas vezes o erro ocorre pela formatação, principalmente se foi escrito ou salvo em um Windows. Ocorre de no final de cada linha ele acrescentar um ^M, o que não o Linux não consegue interpretar.

Existem algumas formas de corrigir esse problema, a mais conhecida é usando o aplicativo dos2unix.

Mas o quero apresentar hoje é usando o poderoso Vim. Basta estando dentro do arquivo digitar o comando abaixo:

Simples e rápido, caso por algum motivo queira fazer o processo contrário, basta executar:

Comando fuser – Quem mexeu no meu arquivo

O fuser é um programa que permite que saibamos qual processo está utilizando determinado arquivo, socket (portas) e sistema de arquivos especificado. Aprender sua manipulação é essencial para poder administrar um servidor para saber o que está acontecendo principalmente nas conexões. É um comando extremamente flexível, vamos ver suas opções e seu uso.

Diretiva Descrição Exemplo
-a, –all Mostra todos os arquivos, inclusive os que estão sem uso # fuser -a *
-k, –kill Desativa/Mata os processos que estão utilizando determinado arquivo # fuser -k /home/zonebin
-i, –interactive Pede confirmação sempre que for matar um processo utilizando um arquivo # fuser -ik /home/zonebin
-m, –mount Especifica um sistema de arquivos para descobrir qual processo está sendo utilizado # fuser -m /dev/sda1
-s, –silent Realiza as operações indicadas silenciosamente, não use a opção -a, -u, -v # fuser -ks /home
-u, –user Mostra o nome de usuário que iniciou o processo que está utilizando o arquivo # fuser -u /var/log/messages
-4, –ipv4 Mostra processos de IPV4 somente # fuser -4 ssh/tcp -6,
-ipv6 Mostra somente processos de sockets IPV6 # fuser -6 25/tcp

Tipos de acesso:
c  Diretório atual
e  Arquivo executável rodando
f  Arquivo aberto (omitido no modo de display padrão)
F  arquivo aberto para escrita (omitido no modo de display padrão)
r  Diretório root
m  Arquivo mapeado ou biblioteca compartilhada

Exemplos:
Mostrar os processos em execução no diretório atual:

Verificando se está sendo usado socket TCP ou UDP, como a porta 22 (SSH):
Para mais informações:

Gerenciando serviços com SystemD

Com SystemD é possível gerenciar o sistema e serviços no seu Linux. Ele usa o Control Groups (CGroups), cada serviço iniciado pelo systemd roda dentro de um cgroup separado, fazendo com que se tenha garantia que cada processo iniciado por serviço seja encerrado corretamente.

Para listar todos os serviços em execução:

Para ver o status de um serviço:
Para ativar um serviço na inicialização:
Para retirar um serviço da inicialização:
Para listar units sendo executadas:
Para listar units que falharam:
Listar os serviços instalados:
Reiniciar o sistema:
Desliga e encerra o sistema:
Suspender o sistema:
Colocar o sistema em modo de hibernação:
Colocar o sistema em modo de suspensão:

Reconhecer HD novo Linux sem reiniciar

Hoje vamos a mais uma dica rápida. Pra que usa seus servidores virtualizados e precisa adicionar um novo HD seja por falta de espaço ou pelo motivo que for, não precisa reiniciar o servidor para ter o HD reconhecido. Basta apenas executar um simples comando que ordena um “scan” no barramento.

Vale lembrar também que essa dica é para virtualizações com Hot plug habilitado.

Obrigado e até a próxima.

Configurar sudo sem senha

Para configurar o uso do uso sem senha, o que não é recomendado, somente em casos de algum programa precise de permissão para executar determinado comando. Podemos usar como exemplo o Zabbix que quer rodar algum programa com privilégio de root sem comprometer a segurança. O arquivo a ser editado será o /etc/sudoers:

Configurar sudo sem senha para tudo:

Ou podemos configurar para executar somente algo em específico:

E por hoje era isso pessoal, aquele abraço

Hora mais legível no dmesg

Saída padrão do dmesg:

Saída do comando dmesg -T:

Podemos incluise criar um alias no bashrc: